Residência

Como escolher a residência médica?

Como escolher a residência médica

A trajetória profissional de um médico é feita de desafios. A jornada começa já no vestibular, o mais concorrido na maioria das instituições de ensino superior do Brasil. Os desafios continuam depois de formado, desta vez para escolher a residência médica e ser aprovado nela.

A especialização é a opção mais buscada por aqueles que tenham concluído o curso de medicina em uma universidade, o que torna a seleção da residência um processo muito competitivo. As vagas ficam disponíveis por meio de editais de concursos públicos, onde pode ser feita a inscrição para o exame.

Contudo, todo este processo inicia-se muito antes da prova em si, já que muitos estudantes não sabem como escolher a residência médica. Esta dificuldade nos levou a produzir este artigo com várias dicas que o profissional pode considerar para decidir o seu futuro.

Oportunidades existem para diferentes especialidades e cabe ao médico recém-formado decidir qual caminho profissional irá trilhar. Boa leitura!

Aprenda como escolher a residência médica

A decisão sobre uma residência médica não é fácil. A partir dela, você terá anos de estudos, dedicação e muito trabalho prático, de forma que a escolha deve ser tomada com cautela. 

Nesse sentido, existem algumas dicas de como escolher a residência médica que podem ser seguidas antes de dar esse passo!

1. Leve em conta a sua afinidade

O primeiro passo na hora de escolher a residência médica é responder algumas perguntas, de acordo com os seus gostos profissionais. Com qual área de estudos você mais se identifica? O reconhecimento é importante para a sua satisfação pessoal?

A ideia é que, por meio das respostas, você identifique a especialização que mais combina com o seu perfil médico. Uma residência é um comprometimento considerável, de modo que é essencial que sinta-se satisfeito com a escolha profissional que fez.

2. Não ignore a remuneração financeira

Quando falamos sobre medicina, é muito comum que alguns discursos simplifiquem o “amor à profissão”. É primordial que você goste do que faz, mas ignorar o aspecto econômico da escolha profissional não é realista. Dinheiro faz diferença na vida de qualquer pessoa.

A sua dedicação será mais fácil se você se identificar com a área de estudos, mas não se esqueça de que esse é um trabalho. Dessa forma, é natural que a remuneração financeira faça parte dos critérios a serem analisados na hora de escolher uma residência médica.

3. Considere o perfil do paciente

A afinidade com uma especialidade médica se dá não somente pelo conteúdo teórico, mas também pela prática cotidiana. Nesse ponto, os pacientes são talvez o elemento mais importante. Médicos cuidam da saúde das pessoas, o que estabelece essa importância.

O perfil de um paciente muda consideravelmente entre as diversas especialidades, especialmente quando falamos daquelas em que os cuidados são exclusivamente voltados para uma faixa etária (pediatria, geriatria) ou gênero biológico (ginecologia, andrologia).

4. Pondere sobre a localização

Nesta dica de como escolher a residência médica, é necessário avaliar as condições disponíveis para mudar de cidade ou até de estado. Concursos públicos para profissionais da área não são abundantes, de modo que aqueles que estão buscando uma vaga costumam ficar atentos para provas em diferentes regiões.

Conseguir uma vaga em residência médica em um local diferente de onde você vive, necessariamente, implicará em uma mudança, o que é importante e deve ser considerado. Como adendo, aspectos econômicos também influenciam nessa escolha.

5. Pesquise sobre a instituição

Tão importante quanto a especialidade médica é a instituição na qual você fará sua residência. Embora a excelência seja a meta de qualquer organização que lida com a saúde humana, alguns hospitais carregam um prestígio maior dentro de alguma área.

Pesquisar sobre a instituição envolve não somente compreender o espaço e o renome que ela possui, mas conhecer a rotina de trabalhos. Obter essas informações permitirá que você saiba se o seu perfil está ou não alinhado com o daquele hospital.

6. Converse com profissionais experientes

Não podemos desconsiderar, em nossas dicas de como escolher a residência médica, uma consulta a profissionais experientes da área desejada. Esta é uma maneira mais eficiente de compreender sobre uma carreira.

Isso é verdade em todos os aspectos da vida, e é algo que você deve utilizar na hora de escolher a sua residência médica.

Encontre e converse com profissionais que já passaram pela instituição que está visando e indague sobre as experiências deles. A partir dessa conversa, você terá um panorama menos teórico e mais humano, o que com certeza ajudará na decisão final.

7. Analise os critérios da vaga

Embora todas as residências médicas exijam que o profissional possua um diploma superior em medicina, algumas possuem critérios extras. Entre as especialidades com pré-requisitos estão a Cardiologia, a Endocrinologia, a Geriatria, a Urologia e áreas cirúrgicas.

Por conta disso, esta nossa última dica de como escolher a residência médica é para que se dedique a estudar os pré-requisitos da especialidade para a qual está se candidatando e identifique se as possui. Se esse não for o caso, você terá outras etapas para enfrentar antes de poder iniciar na área com a qual mais se identifica.

Acima de tudo, a escolha da residência médica requer um valioso processo de introspecção. Esse momento permite ao formado em medicina considerar os motivos que o levaram a escolher a profissão e de que maneira o seu trabalho pode contribuir para o bem estar social.

Para ajudá-lo a se preparar melhor para os processos seletivos mais concorridos, nós lançamos um curso preparatório aqui no Centro de Desenvolvimento da Medicina (CDM). Ele conta com simulados, apoio de especialistas e uma metodologia estratégica focada em resultados. No CDM, você ganha tempo e estuda o que importa!

Conheça o curso preparatório para residência médica. Invista agora em seu futuro profissional!

Você pode seguir nossos perfis no Instagram e acompanhar nossos conteúdos especiais.

Em alta

O que é esclerose subcondral?

Doutor, você já ouviu a falar sobre a Esclerose Subcondral? Ela é uma doença óssea muito comum. Mas, você sabe como diagnosticá-la? Entenda!

Ler matéria

Quais são os 4 tipos de hipersensibilidade?

Considerada como um distúrbio, a hipersensibilidade pode ocasionar diversos danos graves ao seu paciente. Confira os 4 principais tipos!

Ler matéria

Quais são os planos de delimitação do corpo humano?

Você sabia que o corpo humano é referenciado de acordo com três planos mutuamente ortogonais? Confira quais são os planos de delimitação!

Ler matéria

O que é arritmia supraventricular isolada?

A Arritmia Supraventricular Isolada é uma condição cardíaca que afeta o ritmo do coração e suas variações. Conheça os riscos e tratamentos!

Ler matéria

Como coletar gasometria arterial?

Está com dúvida de como coletar a gasometria arterial? Ela é realizada por meio da punção na artéria do paciente. Saiba dominar essa técnica!

Ler matéria

Quais doenças o exame FAN detecta e quando solicitar ao paciente?

Feito a partir da análise de uma amostra de sangue do paciente o exame FAN ajuda a diagnosticar doenças autoimunes como a lúpus. Saiba mais!

Ler matéria

Outras matérias

Quantos anos é a residência de neurocirurgia

Quantos anos é a residência de neurocirurgia?

Você conhece a residência em neurocirurgia? Essa especialidade trata das intervenções no sistema nervoso. Veja quantos anos é a especialização!

Como estudar para a prova de residência médica

Como estudar para a prova de residência médica?

Como estudar para a prova de residência médica? Além de analisar o edital, você deve criar uma rotina de estudo, resolver questões de anos …

Quais doenças o exame fan detecta

Quais doenças o exame FAN detecta e quando solicitar ao paciente?

Feito a partir da análise de uma amostra de sangue do paciente o exame FAN ajuda a diagnosticar doenças autoimunes como a lúpus. Saiba mais!

Como montar um consultório médico

Como montar um consultório médico?

Montar um consultório próprio do zero é uma empreitada desafiadora, porém te possibilitará uma melhor remuneração e flexibilidade. Entenda!