Procedimentos

Paciente com marca-passo pode fazer tomografia? Descubra agora!

Paciente com marcapasso pode fazer tomografia?

Este é um pequeno dispositivo implantado sob a pele cuja função é enviar pulsos elétricos para controlar os batimentos do coração lesionado. Ainda que bastante comum, seu uso ainda gera dúvidas. Por exemplo, o paciente com marca-passo pode fazer tomografia?

O uso do marca-passo acompanha o envelhecimento da população e o surgimento de doenças cardíacas associadas. Ao mesmo tempo, a área médica desenvolve novos estudos, aprimora o conhecimento e oferece uma série de novos tratamentos para preservar a saúde dos pacientes.

Algumas situações podem necessitar de um exame magnético, como são os casos das tomografias e das ressonâncias. Contudo, estes estariam disponíveis para todos, sem nenhuma restrição?

Para ajudá-lo a relembrar o tema, muito comum na especialização médica em cardiologia, reunimos diversas informações sobre o aparelho neste conteúdo criado pelo Centro de Desenvolvimento em Medicina (CDM). Boa leitura!

Para que serve o marca-passo?

O marca-passo serve para tratar taquiarritmias, ou seja, alterações que aceleram o coração, e também bradiarritmias, que diminuem a frequência cardíaca. Há, ainda, os aparelhos ressincronizadores, cuja função é corrigir falhas no sincronismo da contratilidade cardíaca. Outra função importante é detectar e tratar arritmias e, assim, prevenir a morte súbita.

A implantação do marca-passo se dá no interior da cavidade torácica. O aparelho é pequeno e, graças às novas tecnologias, ele é seguro e dotado de recursos modernos para garantir o correto funcionamento. Em seguida, são realizados estudos de eletrocardiograma para análise e restabelecimento da saúde do paciente.

Rodeado de dúvidas e questionamentos, bem como mitos e verdades, o uso do marca-passo deve ser bem compreendido pelos profissionais da área médica para que eles possam responder às perguntas que surgem, inclusive saber se paciente com marca-passo pode fazer tomografia ou não.

Abaixo vamos detalhar melhor essa questão. Confira!

Afinal, paciente com marca-passo pode fazer tomografia?

Uma das dúvidas pertinentes ao uso do marca-passo permeia a realização do exame de tomografia. O temor é que o raio-x danifique o dispositivo, prejudique sua função, libere choques ou acelere o ritmo cardíaco. São mitos que devem ser esclarecidos, já que é possível fazer o exame sem problemas.

Até pouco tempo, de fato, paciente com marca-passo não podia fazer a tomografia computadorizada devido a recomendações para limitar a exposição a radiações. O temor acontecia por associação com a ressonância magnética, um dos exames que merecem ressalvas.

Então, não só a tomografia, como ecocardiograma, mamografia, raio-x e tomografia computadorizada podem ser feitos sem alarme.

Paciente com marca-passo pode fazer ressonância?

Assim que o paciente tiver o marca-passo implantado, o profissional precisa orientar quanto a realização desse tipo de exame. Nem todos os aparelhos permitem a realização de ressonância magnética, uma vez que o funcionamento do dispositivo pode sofrer interferências pela máquina.

Alguns aparelhos, entretanto, permitem que o exame seja feito. São os chamados marca-passos condicionados que, horas antes da ressonância, são devidamente programados. Porém, a devida orientação e acompanhamento do cardiologista são essenciais nestes casos.

Os efeitos adversos provocados pela ressonância magnética em pacientes com marca-passo incluem indução da arritmia, aumento dos limiares de estimulação e aquecimento. Os fatores que provocam tais situações são o campo magnético, gradiente e a radiofrequência.

Nestes casos, o exame é contraindicado em pacientes com os seguintes aparelhos:

  • Marca-passos definitivos com cabos epicárdicos;
  • Marca-passos implantados antes de 1998;
  • CDIs implantados antes do ano 2000.

Como a medicina está em constante evolução, é imprescindível que o cardiologista participe de congressos e outros eventos para ficar sempre atualizado acerca de novos tratamentos ou situações adversas que podem ser relatados por outros profissionais. Isso o ajudará a promover o bem-estar e a manutenção da saúde dos pacientes.

Se você é um técnico ou enfermeiro e tem dúvidas se um paciente com marca-passo pode fazer tomografia, nosso conselho é que busque orientações com o cardiologista dele. Ele é a melhor fonte para apoiá-lo!

Quais orientações devem ser passadas ao paciente com marca-passo?

Após a implantação do marca-passo, forneça a carteirinha ao paciente com as informações sobre o aparelho, fabricante e seu contato. Trata-se do documento de identificação do portador. Ele precisa mantê-lo na carteira!

De modo geral, o paciente com marca-passo pode levar uma vida normal. Porém, é preciso desmistificar algumas informações e transmitir procedimentos detalhados sobre o que a pessoa pode ou não fazer.

O que o paciente com marca-passo pode fazer:

  • Usar celular normalmente, porém, a indicação é de que seja do lado oposto;
  • Usar o forno microondas, mas não há necessidade alguma de ficar encostado no aparelho;
  • Banheiras de hidromassagem, barbeadores, cortadores de grama e massageadores não interferem no uso do equipamento;
  • Detectores de metal não causam prejuízo ao aparelho, ainda que ele seja detectado.

O que o paciente com marca-passo deve evitar:

  • Colchões magnéticos, uma vez que eles aceleram o desgaste da bateria e podem gerar novos problemas cardíacos;
  • Aterramento inadequado das instalações elétricas.

O paciente com marca-passo pode fazer tomografia e demais exames que envolvam raios-x. A única observação se relaciona à ressonância magnética, em especial, a nuclear e a bioimpedância, devido a interferências sérias em seu funcionamento.

Para você que é da área da cardiologia, gostaríamos de convidá-lo a conhecer o curso Eletrocardiograma Avançado, criado pelo CDM. Desenvolvido pela especialista Márcia Cristina, o treinamento orienta sobre possíveis alterações no ECG e no correto diagnóstico de cardiopatias.

O Centro de Desenvolvimento em Medicina é a nova marca de cursos de imersão, aperfeiçoamento e especialização do Brasil e temos uma série de cursos médicos presenciais e online com matrículas abertas. Confira!

Além de eliminar a dúvida se o paciente com marca-passo pode fazer tomografia ou não, nós também já falamos aqui sobre o que são as CIDs de doenças e orientamos como fazer um ECG.

Quer receber novas atualizações? Siga nosso perfil no Instagram!

Em alta

O que é esclerose subcondral?

Doutor, você já ouviu a falar sobre a Esclerose Subcondral? Ela é uma doença óssea muito comum. Mas, você sabe como diagnosticá-la? Entenda!

Ler matéria

Quais são os 4 tipos de hipersensibilidade?

Considerada como um distúrbio, a hipersensibilidade pode ocasionar diversos danos graves ao seu paciente. Confira os 4 principais tipos!

Ler matéria

Quais são os planos de delimitação do corpo humano?

Você sabia que o corpo humano é referenciado de acordo com três planos mutuamente ortogonais? Confira quais são os planos de delimitação!

Ler matéria

O que é arritmia supraventricular isolada?

A Arritmia Supraventricular Isolada é uma condição cardíaca que afeta o ritmo do coração e suas variações. Conheça os riscos e tratamentos!

Ler matéria

Como coletar gasometria arterial?

Está com dúvida de como coletar a gasometria arterial? Ela é realizada por meio da punção na artéria do paciente. Saiba dominar essa técnica!

Ler matéria

Quais doenças o exame FAN detecta e quando solicitar ao paciente?

Feito a partir da análise de uma amostra de sangue do paciente o exame FAN ajuda a diagnosticar doenças autoimunes como a lúpus. Saiba mais!

Ler matéria

Outras matérias

Questões de prova de residência médica

Treine com questões de prova de residência médica

Pretende ser aprovado na residência médica? Conheça as áreas da medicina que mais caem na prova e comece a treinar com 6 questões. Confira!

Protocolo para realização de ECG

Protocolo para realização de ECG

Por conta da complexidade do exame e para evitar erros comuns, é essencial que o médico siga o protocolo para realização de ECG. Entenda!

Quais são os tipos de epilepsia

Quais são os tipos de epilepsia?

Uma das funções do especialista em neurologia é diagnosticar e orientar o melhor tratamento ao seu paciente com epilepsia. Entenda os tipos!

Quais são os tipos de afasia

Você sabe quais são os tipos de afasia e como tratá-los?

Você sabia que a afasia afeta a capacidade de comunicação e a linguagem de um paciente? Conheça os diferentes tipos e tratamentos indicados!