Residência

Quanto ganha um residente de neurocirurgia? Veja detalhes sobre esta especialidade

Quanto ganha um residente de neurocirurgia

A neurocirurgia, como se sabe, é a especialidade médica dedicada ao diagnóstico e tratamento cirúrgico das doenças que afetam o sistema nervoso central, periférico e autônomo. Trata-se de uma das áreas mais prestigiadas da medicina e, também, com remuneração vantajosa.

Entre as patologias tratadas pela neurocirurgia, podemos exemplificar com a epilepsia, a hidrocefalia, o aneurisma e outras enfermidades ligadas à medula espinhal e coluna cervical. Ou seja, regiões sensíveis que demandam tratamento preciso. Por isso, falamos de uma área de alta complexidade da medicina.

Da mesma forma que em outras especialidades, a neurocirurgia exige a conclusão de uma residência médica. Nela, o aluno assume práticas e procedimentos, sempre sob a supervisão de seus tutores. Nesse período, o profissional é remunerado e tem uma rotina bastante agitada.

Para ajudá-lo a entender melhor quanto ganha um residente de neurocirurgia e o que ele faz, reunimos neste artigo algumas informações relevantes. Leia com atenção e aprofunde os seus conhecimentos nesta área!

Veja também: Quais são os planos de delimitação do corpo humano?

Descubra quanto ganha um residente de neurocirurgia

Assim como nas demais residências médicas, o aluno recebe uma bolsa-auxílio durante a realização da sua formação, uma vez que o programa é considerado um estágio para especialização. Por isso, ele deve ser remunerado.

A atualização mais recente no valor das bolsas da residência em neurocirurgia foi em 2020, segundo o Projeto de Lei nº 3.360/20. A partir daí, o benefício foi fixado em R$ 3.330,43 por 60 horas semanais trabalhadas.

Entretanto, de acordo com a instituição onde o aluno atua, há outros benefícios agregados, o que amplia a resposta para a questão sobre quanto ganha um residente de neurocirurgia. Algumas vagas oferecem, por exemplo, auxílio-alimentação e auxílio moradia. Entre as residências mais renomadas da área, a princípio, estão:

  • Universidade de São Paulo (USP);
  • Universidade Estadual de Campinas (Unicamp);
  • Universidade Federal de São Paulo (Unifesp);
  • Iamspe.

Além disso, é interessante saber quanto ganha o residente de neurocirurgia por plantão. Afinal, na prática, estes profissionais podem fazer plantões tanto para intensificar seu aprendizado quanto para aumentar a renda. O valor depende da localidade e especialidade, mas vai de R$ 900 a R$ 1.600.

Como é a residência para neurocirurgia?

A residência médica para neurocirurgiã tem acesso direto, ou seja, não demanda pré-requisito. Por outro lado, trata-se de uma das mais longas, com duração de cinco anos. 

O programa de especialização varia de acordo com a instituição, embora todas tenham que seguir o exigido pelo Ministério da Educação (MEC), em parceria com a Associação Médica Brasileira (AMB) e a Sociedade Brasileira de Neurocirurgia.

Tais instituições desenvolveram um programa oficial que estabelece número de horas a serem cumpridas em cada estágio. Nela, está a matriz curricular que, sobretudo, determina o que o residente estuda em cada ano.

Em suma, residência médica em neurocirurgia é dividida da seguinte forma:

  • Primeiro ano: bases da morfologia, função e principais processos patológicos do sistema nervoso;
  • Segundo ano: diagnóstico clínico, linhas de investigação a serem realizadas e procedimentos clínicos e cirúrgicos;
  • Terceiro e quarto anos: diagnóstico neurocirúrgico, definição, interpretação e avaliação de exames complementares e atos neurocirúrgicos sob supervisão (complexidade e articulações progridem conforme o R).

Após os cinco anos de residência, o novo neurocirurgião pode se subespecializar, isto é, dedicar-se a uma das especialidades da área. Por exemplo, a neurocirurgia vascular ou da base do crânio.

O que o residente em neurocirurgia faz? 

Após ver os detalhes acima sobre quanto ganha um residente de neurocirurgia, convém entender melhor quais são as atividades que serão desenvolvidas por este profissional. A princípio, ele visita enfermarias, leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), atende em ambulatório, além da emergência.

O profissional também faz avaliação de pós-operatórios e interconsultas. Contudo, a maior parte de sua rotina envolve atividades no centro cirúrgico. Durante a residência, o aluno participa de discussões semanais de casos operados, além de artigos científicos.

Vale ressaltar que quanto mais ele avança no programa, maior será o seu tempo cirúrgico. Desta forma, o R4 e o R5, que são o quarto e quinto anos, respectivamente, são voltados a esta atividade, quase em sua totalidade.

Em suma, a neurocirurgia é a especialidade médica dedicada ao diagnóstico e tratamento cirúrgico das doenças que afetam o sistema nervoso central, periférico e autônomo. Para se tornar um neurocirurgião, o aluno precisa passar pela residência médica.

Embora seja de acesso direto, trata-se de um dos programas mais longos e complexos, com duração de cinco anos. Durante esse período, o estudante se aproxima da rotina profissional, principalmente nos centros cirúrgicos. Segundo a matriz curricular, cada ano é destinado ao conhecimento e aprofundamento dos aprendizados.

Sobre quanto ganha um residente de neurocirurgia, desde 2020, a bolsa está em R$ 3.330,43 por 60 horas semanais trabalhadas. Além disso, é interessante observar o valor recebido por plantão, que varia de R$ 900 a R$ 1.600.

Por conta deste grau de dificuldade, o Centro de Desenvolvimento em Medicina (CDMED) criou um programa com uma metodologia exclusiva para preparar os profissionais que querem ingressar em uma residência médica.

Conheça agora o curso preparatório para residência médica, ele conta com simulados e foi elaborado com o apoio de médicos especialistas e atuantes.

Aproveite para seguir nosso perfil no Instagram e acompanhar nossas dicas de estudo!

Em alta

O que é esclerose subcondral?

Doutor, você já ouviu a falar sobre a Esclerose Subcondral? Ela é uma doença óssea muito comum. Mas, você sabe como diagnosticá-la? Entenda!

Ler matéria

Quais são os 4 tipos de hipersensibilidade?

Considerada como um distúrbio, a hipersensibilidade pode ocasionar diversos danos graves ao seu paciente. Confira os 4 principais tipos!

Ler matéria

Quais são os planos de delimitação do corpo humano?

Você sabia que o corpo humano é referenciado de acordo com três planos mutuamente ortogonais? Confira quais são os planos de delimitação!

Ler matéria

O que é arritmia supraventricular isolada?

A Arritmia Supraventricular Isolada é uma condição cardíaca que afeta o ritmo do coração e suas variações. Conheça os riscos e tratamentos!

Ler matéria

Como coletar gasometria arterial?

Está com dúvida de como coletar a gasometria arterial? Ela é realizada por meio da punção na artéria do paciente. Saiba dominar essa técnica!

Ler matéria

Quais doenças o exame FAN detecta e quando solicitar ao paciente?

Feito a partir da análise de uma amostra de sangue do paciente o exame FAN ajuda a diagnosticar doenças autoimunes como a lúpus. Saiba mais!

Ler matéria

Outras matérias

O que é esclerose subcondral

O que é esclerose subcondral?

Doutor, você já ouviu a falar sobre a Esclerose Subcondral? Ela é uma doença óssea muito comum. Mas, você sabe como diagnosticá-la? Entenda!

Tratamentos para síndrome complexa de dor regional

Tratamentos para Síndrome Complexa de Dor Regional

A Síndrome Complexa de Dor Regional (SDRC) é caracterizada por uma dor crônica que acomete principalmente extremidades do corpo. Saiba mais!

Quais os planos de delimitação do corpo humano

Quais são os planos de delimitação do corpo humano?

Você sabia que o corpo humano é referenciado de acordo com três planos mutuamente ortogonais? Confira quais são os planos de delimitação!

Como funciona o Enare?

Como funciona o Enare?

O Enare tem como objetivo otimizar a forma de selecionar os residentes médicos. Você está planejando participar do exame? Saiba como funciona!