Capacitação

Quais são as etapas do protocolo Spikes?

Quais são as etapas do protocolo Spikes

Um dos maiores desafios na relação médico, paciente e familiares é, sem dúvidas, a comunicação de má notícias. Embora a morte e estados irreversíveis façam parte da rotina hospitalar, saber transmitir as informações é crucial para estabelecer, principalmente, a empatia.

É importante que os especialistas conheçam quais são as etapas do protocolo Spikes. protocolo que ajuda a direcionar as ações nestes momentos delicados.

O protocolo apresenta uma abordagem utilizada por equipes médicas para a comunicação de má notícias. O termo se refere à curva acentuada de estresse emocional que, tanto pacientes quanto familiares, experimentam ao receberem esse tipo de informação.

Entre seus principais objetivos, estão identificar, antecipar e preparar o destinatário da mensagem, fornecendo suporte emocional e mitigando o impacto negativo. Ao todo, são seis etapas que você entenderá melhor agora. 

Este é um conteúdo especial criado pela redação do Centro de Desenvolvimento em Medicina (CDMED). Boa leitura!

Veja também: Como organizar o prontuário de paciente?

Saiba quais são as etapas do protocolo Spikes

Inicialmente, a técnica é composta por seis etapas que, juntas, cumprem os objetivos de recolher e transmitir as informações médicas, além de proporcionar suporte ao paciente. Por fim, ela ainda pretende fazer com que a pessoa colabore para o desenvolvimento de estratégias relacionadas ao próprio tratamento.

Sendo assim, conheça abaixo cada uma das etapas.

Setting up the interview (S)

Em primeiro lugar, o médico deve planejar mentalmente a conversa e, em seguida, escolher um local adequado. Neste sentido, o espaço deve ter privacidade e acolhimento, fortalecendo o contato com a pessoa que vai receber a informação.

Mantenha a calma de tal forma a permitir que as informações ajudem o paciente a planejar seu próprio futuro. Caso dê a notícia a ele, mantenha um acompanhante por perto para que se sinta mais seguro.

Fixe o olhar nos olhos do paciente e não deixe que haja algum objeto ou móvel entre vocês com a finalidade de se mostrar próximo durante esta etapa.

Perception (P)

Antes de passar a informação, é preciso analisar paciente ou familiar, o que torna essencial compreender melhor quais são as etapas do protocolo Spikes. Identifique o que já lhe foi transmitido sobre a própria condição e suas expectativas. Com isso, é possível entender o pensamento e situação emocional.

Neste momento, o ideal é usar perguntas abertas.

Invitation (I)

Esta etapa do protocolo Spikes envolve, literalmente, obedecer ao convite do paciente ou familiar. Em outras palavras, a pessoa quer ouvir a informação em sua totalidade. Por outro lado, caso não haja essa vontade por parte do destinatário, é importante que o médico questione até onde precisa receber os dados pertinentes à condição.

Caso a pessoa se mostre irredutível e não queira saber notícias sobre o próprio estado, identifique um familiar que esteja apto a receber as informações e que ajude na tomada de decisões.

Knowledge (K)

Esta é a etapa do protocolo Spikes na qual dá conhecimento sobre o estado do paciente. Primeiro, por causa da gravidade da notícia, é necessário usar linguagem empática e clara para facilitar o processo. O médico deve, sobretudo, demonstrar compaixão e passar todos os dados de forma gradativa, avaliando se o conteúdo está sendo compreendido.

Uma dica importante é usar frases de introdução, como “Infelizmente, não trago boas notícias”. Use expressões curtas e, durante a conversa, sempre pergunte como o interlocutor está se sentindo.

Emotions (E)

Ao aprender sobre quais são as etapas do protocolo Spikes, o profissional deve abordar as emoções do paciente ou familiar com respostas afetivas. Ou seja, responder às emoções do interlocutor, oferecendo apoio e solidariedade.

Sem dúvidas, diante de uma má notícia, é natural que a pessoa chore ou até entre em pânico. Dê o tempo necessário para se recompor, mostrando compreensão e, sobretudo, empatia.

Strategy (S)

Por fim, a última etapa da estratégia é quando o especialista apresenta as opções de tratamento e a divisão de responsabilidades neste processo. Deixe claro que a pessoa jamais ficará sozinha no processo, independente de ser um plano curativo ou paliativo.

Não há fórmula mágica

Embora conhecer quais são as etapas do protocolo Spikes seja relevante sobre o que fazer, a comunicação de má notícias jamais será tarefa fácil. Mais ainda, cada caso é único, ou seja, há diferentes reações conforme paciente ou familiar.

Quando houver possibilidades de tratamento, deixe claro as chances reais, como será o processo e, acima de tudo, mantenha o paciente ciente de que não estará sozinho. Por outro lado, em situações não curativas, os cuidados de fim de vida são sempre estressantes para todos os envolvidos.

Este conteúdo foi criado pela redação do Centro de Desenvolvimento em Medicina (CDMED), uma nova marca de treinamentos para profissionais da saúde.

Aqui no CDMED você pode avaliar os cursos de especialização para Médicos com matrículas abertas e iniciar já a sua formação no tema escolhido.

Depois de entender quais são as etapas do protocolo Spikes, aproveite para saber detalhes sobre os tipos de hidrocefalia e de epilepsia.

Em alta

O que é esclerose subcondral?

Doutor, você já ouviu a falar sobre a Esclerose Subcondral? Ela é uma doença óssea muito comum. Mas, você sabe como diagnosticá-la? Entenda!

Ler matéria

Quais são os 4 tipos de hipersensibilidade?

Considerada como um distúrbio, a hipersensibilidade pode ocasionar diversos danos graves ao seu paciente. Confira os 4 principais tipos!

Ler matéria

Quais são os planos de delimitação do corpo humano?

Você sabia que o corpo humano é referenciado de acordo com três planos mutuamente ortogonais? Confira quais são os planos de delimitação!

Ler matéria

O que é arritmia supraventricular isolada?

A Arritmia Supraventricular Isolada é uma condição cardíaca que afeta o ritmo do coração e suas variações. Conheça os riscos e tratamentos!

Ler matéria

Como coletar gasometria arterial?

Está com dúvida de como coletar a gasometria arterial? Ela é realizada por meio da punção na artéria do paciente. Saiba dominar essa técnica!

Ler matéria

Quais doenças o exame FAN detecta e quando solicitar ao paciente?

Feito a partir da análise de uma amostra de sangue do paciente o exame FAN ajuda a diagnosticar doenças autoimunes como a lúpus. Saiba mais!

Ler matéria

Outras matérias

O que é R3

O que é R3? Entenda este conceito na residência médica

Você sabe o que é R3? Trata-se de uma etapa crucial na capacitação de um residente em medicina. Conheça as especializações e a duração!

O que é arritmia supraventricular isolada

O que é arritmia supraventricular isolada?

A Arritmia Supraventricular Isolada é uma condição cardíaca que afeta o ritmo do coração e suas variações. Conheça os riscos e tratamentos!

Como coletar gasometria arterial

Como coletar gasometria arterial?

Está com dúvida de como coletar a gasometria arterial? Ela é realizada por meio da punção na artéria do paciente. Saiba dominar essa técnica!

Como se cadastrar para atender por plano de saúde

Como se cadastrar para atender por plano de saúde?

Você deseja aumentar o número de atendimentos em seu consultório? Confira como credenciar sua clinica e passe a atender os planos de saúdes.