Carreira

Como abordar os pacientes que faltam às consultas?

Como abordar os pacientes que faltam às consultas

O trabalho de um profissional da área da saúde não é fácil. Estuda-se muito, trabalha-se ainda mais e nem sempre se descansa o suficiente. Isso sem falar das remunerações, as quais podem ser instáveis quando falamos sobre médicos que atuam de maneira particular.

Nesse sentido, quando se reserva um horário da agenda e a pessoa não aparece, há grande impacto para o profissional, ainda mais quando se torna algo constante. Por isso, é importante saber como abordar os pacientes que faltam às consultas.

Isso porque o médico está preparado e presente para o compromisso, de modo que a ausência faz com que o tempo seja perdido e, consequentemente, dinheiro. A sensação de frustração e os prejuízos são consideráveis.

Na maioria esmagadora das vezes não existe intenção de prejudicar o profissional, de modo que as frequentes situações de faltas inofensivas podem ser contornadas com a atitude certa!

Para ajudá-lo, vamos apresentar algumas estratégias que podem funcionar em sua clínica e lembre-se de adaptá-las conforme seu ramo ou público.

Veja também: Dicas de marketing digital para médicos

7 dicas para abordar os pacientes que faltam às consultas

Quando um paciente não comparece no horário marcado, prejudica a rotina do médico e para isso não existe qualquer discussão, mas como evitar esse problema?

Abaixo nós listamos 7 dicas importantes que vão ajudar clínicas e consultórios médicos a solucionarem isso de forma simples. Confira!

Seja atencioso na hora de marcar a consulta

A automação é uma boa ferramenta para consultórios médicos, mas ela vem aliada de um “contra” muito forte: a impessoalidade. Quando um paciente está falando com uma máquina, ao invés de um ser humano, são altas as chances de não prestar atenção às informações.

Uma dica para abordar os pacientes que faltam às consultas e evitar esse problema é ser atencioso durante a marcação delas. Faça a confirmação dos dados (se possível, mais de uma vez) e evite enviar mensagens automáticas. Atitudes dessa natureza incentivam um maior comprometimento.

Estabeleça uma política clara de cancelamentos

O cancelamento de consultas é uma situação chata para todas as partes envolvidas. Embora seja inevitável em alguns casos (já que imprevistos sempre podem acontecer), é muito importante que tanto o médico quanto o paciente tenham responsabilidades asseguradas.

Isso é feito por meio de uma política de cancelamentos. Considerando legislações vigentes, a clínica ou consultório deve ter normas bem delimitadas e previamente informadas aos pacientes, de modo que, caso um cancelamento ocorra, as regras sejam devidamente seguidas.

Quando possível, trabalhe com pagamentos antecipados

Esse é um item muito importante quando falamos sobre como abordar os pacientes que faltam às consultas.

Ninguém gosta de perder dinheiro, certo? Embora não seja interessante abordar a prática médica pelo viés monetário, os profissionais da área exercem um trabalho remunerado e não merecem ficar sem uma compensação justa, o que tem reflexos nos cancelamentos.

Pensando nisso, uma dica interessante é incentivar pagamentos antecipados. Um cliente pode faltar a uma consulta que já pagou, é claro, mas as chances de isso acontecer são bem menores.

Utilize tecnologias para uma boa gestão de agenda

Basicamente, qualquer dica que envolva entrar em contato com pacientes faltosos exigirá acesso aos dados das consultas. O que acontece, então, se você tem uma agenda de papel e ela desaparece? Não haverá possibilidade de falar com as pessoas ou saber quem elas são.

Uma boa gestão é facilitada com o uso de tecnologias e fica mais fácil abordar os pacientes que faltam às consultas. Por meio de sistemas e aplicativos, é possível manter os compromissos agendados eletronicamente, facilitando todos os processos. Caso uma pessoa falte, fica muito mais fácil encontrar seu contato na agenda.

Relembre o paciente antes da data

A maioria das clínicas e consultórios mais atarefados trabalham com agendas longas, em que uma consulta pode ser marcada com meses de antecedência. Ao mesmo tempo, não é factível esperar que todas as pessoas tenham isso organizado antecipadamente.

Ou seja: faltas se tornam frequentes. A fim de evitar isso, recomenda-se entrar em contato no dia anterior à consulta, relembrando-os do compromisso. Essa atitude diminui consideravelmente as ausências por esquecimentos e ajuda muito na hora de abordar os pacientes que faltam às consultas, pois já elimina uma boa porcentagem de quem não estava pensando em ir.

Modere as “brechas”

Embora não gostemos de admitir, o ser humano facilmente se condiciona a algumas situações. Quando erramos e não sofremos consequências, as chances são altas de voltarmos a fazer a mesma coisa. Diante desse cenário, atitudes de conivência apenas aumentam as falhas.

Ao abordar pacientes que faltam às consultas, modere as brechas. Se ele faltar e pedir para ser realocado, não comprometa a sua agenda para ajudá-lo. Ao gerar escassez, você estará ao mesmo tempo respeitando o seu trabalho e o compromisso com as outras pessoas.

Dê o exemplo

Até o momento, nesse texto, nós estamos falando exclusivamente de pacientes faltosos, mas e o contrário? Embora menos frequente, não é incomum que médicos faltem consultas e prejudique aqueles que aguardavam um atendimento. Nesses casos, fica feio apontar o erro alheio, certo?

Entrar em contato com pacientes que faltam consultas exige comprometimento por parte do médico, o que significa dar o exemplo. Não cancele (exceto sob motivo de força maior) e não atrase. Valorize seu público e ele estará mais disposto a valorizar seu atendimento.

Com respeito e tato, saber como abordar os pacientes que faltam às consultas da forma correta geralmente traz resultados positivos. Tanto o médico quanto aquele que o busca quer o melhor do compromisso firmado, o que pode ser incentivado por uma responsabilidade mútua.

Este foi um conteúdo especial criado pela redação do Centro de Desenvolvimento em Medicina (CDMED), uma nova marca de treinamentos para profissionais da saúde. Nós temos uma série de cursos para médicos que desejam se especializar em uma determinada área ou ainda ser aprovado em uma residência muito concorrida.

Veja também:

Protocolo para realização de ECG

Quais são os 4 tipos de hipersensibilidade?

Em alta

O que é esclerose subcondral?

Doutor, você já ouviu a falar sobre a Esclerose Subcondral? Ela é uma doença óssea muito comum. Mas, você sabe como diagnosticá-la? Entenda!

Ler matéria

Quais são os 4 tipos de hipersensibilidade?

Considerada como um distúrbio, a hipersensibilidade pode ocasionar diversos danos graves ao seu paciente. Confira os 4 principais tipos!

Ler matéria

Quais são os planos de delimitação do corpo humano?

Você sabia que o corpo humano é referenciado de acordo com três planos mutuamente ortogonais? Confira quais são os planos de delimitação!

Ler matéria

O que é arritmia supraventricular isolada?

A Arritmia Supraventricular Isolada é uma condição cardíaca que afeta o ritmo do coração e suas variações. Conheça os riscos e tratamentos!

Ler matéria

Como coletar gasometria arterial?

Está com dúvida de como coletar a gasometria arterial? Ela é realizada por meio da punção na artéria do paciente. Saiba dominar essa técnica!

Ler matéria

Quais doenças o exame FAN detecta e quando solicitar ao paciente?

Feito a partir da análise de uma amostra de sangue do paciente o exame FAN ajuda a diagnosticar doenças autoimunes como a lúpus. Saiba mais!

Ler matéria

Outras matérias

O que é supra cardíaca

O que é supra cardíaca? Entenda definições e procedimentos clínicos indispensáveis

Você sabia que a supra cardíaca é uma situação de extrema gravidade que se caracteriza como uma emergência médica? Aprenda como identificar!

Qual a importância da microbiota humana

Entenda qual é a importância da microbiota humana e seu papel como alvo terapêutico?

Você já ouviu falar sobre a microbiota intestinal humana? Ela reduz patologias ao auxiliar na digestão e absorção de nutrientes. Saiba mais!

O que é esclerose subcondral

O que é esclerose subcondral?

Doutor, você já ouviu a falar sobre a Esclerose Subcondral? Ela é uma doença óssea muito comum. Mas, você sabe como diagnosticá-la? Entenda!

Protocolo para realização de ECG

Protocolo para realização de ECG

Por conta da complexidade do exame e para evitar erros comuns, é essencial que o médico siga o protocolo para realização de ECG. Entenda!