Residência

Como fazer residência médica? Descubra detalhes sobre a especialização

Como fazer residência médica

De acordo com números da Associação Médica Brasileira (AMB), o Brasil teve um crescimento recorde de 84% em especialistas nos últimos 10 anos. Entre outros fatores, um dos motivos é a oferta de programas de capacitação.

Ao todo, a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) reconhece 55 especialidades, bem como 59 áreas de atuação. Dentre elas, algumas das mais procuradas são a Pediatria, a Ginecologia e Obstetrícia, a Cirurgia Geral e a Clínica Geral, as quais aparecem no topo da concorrência.

Diante de todos esses dados, é fácil entender a importância da especialização para a promoção da saúde humana. 

Este conteúdo em que explicaremos como fazer residência médica foi criado pela redação do Centro de Desenvolvimento em Medicina (CDMED), uma nova marca de treinamentos para profissionais da saúde. Boa leitura!

O que são residências médicas?

Residências são uma das formas de pós-graduação, servindo para ensinar ao profissional da Medicina já formado conhecimentos mais aprofundados sobre uma determinada área das ciências que cuidam da saúde humana. Isso o torna um especialista.

A rotina das residências médicas consiste na atuação profissional em um hospital público, privado ou em um laboratório, sob a mentoria de especialistas qualificados. Essa jornada dura entre 2 e 5 anos, de acordo com a complexidade da área escolhida.

No Brasil, o sistema de residências médicas é gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC), sendo regido pela CNRM. Como consequência, a fim de se tornar um especialista devem cumprir alguns requisitos.

Como ingressar em uma residência médica?

Ao decidir por uma determinada área, é comum que surja uma dúvida sobre como fazer residência médica. O primeiro passo consiste em obter um diploma em Medicina em uma instituição de ensino reconhecida pelo MEC. Ao fim da formação, esse profissional já pode atuar como generalista, mas não terá uma especialidade.

O próximo passo é a busca por vagas em residência médica, as quais são disponibilizadas por diversas instituições. Dependendo da área escolhida e da localização, o profissional pode atuar em hospitais, clínicas, laboratórios e instituições de ensino.

A fim de preencher uma vaga de residência, o candidato deve ser aprovado em um processo seletivo rigoroso e acirrado, onde aqueles já formados competem pela oportunidade de realizar uma pós-graduação na forma da especialização médica.

Como é a prova de residência médica?

Ao pesquisar sobre como fazer residência médica, você precisa entender que terá que passar por um novo processo seletivo. De maneira geral, esses concursos podem (ou não) englobar provas teóricas, físicas e entrevistas.

As provas teóricas cobram alguns conhecimentos básicos aprendidos durante a formação superior, de maneira mista e multidisciplinar. Ao contrário dos testes físicos e das entrevistas, as avaliações teóricas estão presentes em todos os tipos de processos seletivos para residência.

A concorrência de uma vaga para residência médica varia de acordo com a instituição que a oferece e a região do Brasil onde está localizada. Em todos os casos, o profissional interessado deverá dedicar-se aos estudos de maneira diligente, em busca da aprovação.

Vale a pena fazer uma residência médica?

Como falamos brevemente em tópicos anteriores neste artigo sobre como fazer residência médica, esta não é uma etapa obrigatória para a atuação profissional. Apesar disso, aqueles que trabalham sem uma especialização só poderão atuar como generalistas.

Naturalmente, as oportunidades de trabalho e remuneração são consideravelmente mais altas para especialistas, considerando a sua maior qualificação. Ou seja: embora essa etapa não seja essencial para a carreira na Medicina, ela ajuda a ocupar melhores vagas.

Tudo isso, é claro, sem mencionar a expansão dos conhecimentos, o que permite que esses médicos ajudem um número maior de pessoas. Em todos os casos, a escolha por uma especialização deve ser individual, levando em conta os interesses e ambições de cada um.

Como escolher uma residência médica?

A partir do momento que o profissional formado em Medicina decide realizar uma residência médica, algumas questões surgem. Dentre elas, uma das mais importantes é: qual é a especialização que devo escolher? Essa pergunta deve ser pensada com muito cuidado.

A atenção à escolha da especialidade se deve não somente como consequência do tempo e do investimento despendidos para a formação, como também pelo fato de que médicos brasileiros podem ter no máximo 2 especialidades, não podendo trocá-las posteriormente.

Alguns dos elementos a serem levados em conta antes de se fazer uma residência médica, são: afinidade pessoal com a área, localização geográfica da instituição, número de vagas e concorrência, remuneração e possibilidades de atuação profissional, entre outras.

Como é possível deduzir, a residência médica é uma parte muito importante da formação dos médicos. Por conta disto, aqueles que optam por realizá-la devem fazer muitas pesquisas e se dedicarem profundamente à jornada.

A partir do sucesso obtido ao conquistar mais essa fase da carreira, médicos conseguem obter maior reconhecimento e satisfação profissional, seja pela maior remuneração ou mesmo pela possibilidade de ajudar efetivamente um maior número de pessoas.

Por conta deste grau de dificuldade, o Centro de Desenvolvimento em Medicina (CDM) criou um programa com uma metodologia exclusiva para preparar os profissionais que querem ingressar em uma residência médica.

Conheça agora o curso preparatório para residência médica, ele conta com simulados e foi elaborado com o apoio de médicos especialistas e atuantes.

Além de entender aqui como fazer residência médica, aproveite para seguir nosso perfil no Instagram e acompanhar nossos conteúdos especiais.

Em alta

O que é esclerose subcondral?

Doutor, você já ouviu a falar sobre a Esclerose Subcondral? Ela é uma doença óssea muito comum. Mas, você sabe como diagnosticá-la? Entenda!

Ler matéria

Quais são os 4 tipos de hipersensibilidade?

Considerada como um distúrbio, a hipersensibilidade pode ocasionar diversos danos graves ao seu paciente. Confira os 4 principais tipos!

Ler matéria

Quais são os planos de delimitação do corpo humano?

Você sabia que o corpo humano é referenciado de acordo com três planos mutuamente ortogonais? Confira quais são os planos de delimitação!

Ler matéria

O que é arritmia supraventricular isolada?

A Arritmia Supraventricular Isolada é uma condição cardíaca que afeta o ritmo do coração e suas variações. Conheça os riscos e tratamentos!

Ler matéria

Como coletar gasometria arterial?

Está com dúvida de como coletar a gasometria arterial? Ela é realizada por meio da punção na artéria do paciente. Saiba dominar essa técnica!

Ler matéria

Quais doenças o exame FAN detecta e quando solicitar ao paciente?

Feito a partir da análise de uma amostra de sangue do paciente o exame FAN ajuda a diagnosticar doenças autoimunes como a lúpus. Saiba mais!

Ler matéria

Outras matérias

Funções do conselho regional de medicina

Quais são as funções do Conselho Regional de Medicina?

Boa parte das profissões possuem um órgão responsável por organizar, fiscalizar e regulamentar as suas atividades. Entenda a função do CRM!

O que é o revalida

Entenda aqui o que é o Revalida e quem deve fazê-lo!

Médico, você já ouviu falar sobre o exame Revalida? Confira quem precisa fazer e quais são as exigências dessa prova aplicada pelo MEC.

Como funciona a prova de residência médica

Como funciona a prova de residência médica?

Não sabe como funciona a prova de Residência Médica? Confira agora e prepare-se para enfrentar esse estágio crucial em sua jornada médica!

Tratamentos para síndrome complexa de dor regional

Tratamentos para Síndrome Complexa de Dor Regional

A Síndrome Complexa de Dor Regional (SDRC) é caracterizada por uma dor crônica que acomete principalmente extremidades do corpo. Saiba mais!