Especialidade

O que é preciso para ser anestesista? Formação e as habilidades

O que é preciso para ser anestesista

O médico anestesiologista ou anestesista é um profissional dedicado à prática da anestesia e cuidados prestados antes, durante e após procedimentos cirúrgico e de diagnóstico. Trata-se de uma das especialidades mais buscadas da medicina e com alta concorrência para aprovação nesta residência.

Se você está interessado em conseguir uma especialização na área, veja o que é preciso para ser anestesista.

Em sua rotina, o anestesiologista avalia o estado de saúde do paciente, identifica condições que possam interferir na anestesia e escolhe o medicamento adequado para cada caso. Além disso, administra o medicamento e monitora as funções vitais do atendido durante todo o procedimento.

Porém, o anestesista também é responsável pelos cuidados pós-operatórios, inclusive a administração de medicamentos para aliviar a dor e outros sintomas. Por fim, ainda gerencia complicações que, porventura, surjam tanto no procedimento quanto na recuperação.

Este é um conteúdo especial criado pelo Centro de Desenvolvimento em Medicina (CDMED), uma escola que oferece os melhores treinamentos e atualizações para profissionais da área da saúde. Boa leitura!

Entenda o que é preciso para ser anestesista

Em primeiro lugar, o interessado deve concluir a graduação em medicina, incluindo o período de internato, isto é, o estágio obrigatório. Em seguida, ele deve participar do processo seletivo para a residência médica em anestesiologia.

A especialização dura três anos e possui acesso direto. Em outras palavras, você não precisa fazer outra residência anterior como pré-requisito. Porém, é importante ter a ciência de que se trata de uma das áreas mais concorridas em todo o país.

Só para ilustrar, ela é a quinta mais procurada, ficando atrás apenas de Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia, Cirurgia Geral e Clínica Médica. Tanto a prova quanto a própria residência exige conhecimentos em:

  • Clínica Médica;
  • Ginecologia e Obstetrícia;
  • Cirurgia Geral;
  • Medicina Preventiva e Social;
  • Pediatria.

Após concluir a residência, o profissional deve fazer a prova de títulos junto à Sociedade Brasileira de Anestesiologia e, também, se registrar no Conselho Federal de Medicina. Só aí, poderá atuar realmente como anestesista.

Além disso, a anestesiologia é uma das áreas mais ligadas à tecnologia, pois precisa cuidar do monitoramento preciso do paciente no pré e pós-procedimento. Sendo assim, demanda conhecimento tanto técnico quanto médico por parte do profissional.

O que estuda na residência em anestesiologia?

A grade desta residência médica pode, em maior ou menor grau, variar conforme a instituição. Porém, existem competências mínimas exigidas pela Sociedade Brasileira de Anestesiologia.

Por isso, a grade da residência em anestesiologia é normalmente organizada da seguinte forma.

Primeiro ano

  • Anatomia vascular e venóclises periférica e central;
  • Análise e utilização de materiais, equipamentos e fármacos;
  • Identificação e tratamento de causas de sangramento e demais complicações anestésicas;
  • Choque;
  • Intubação e extubação traqueal;
  • Tratamento das arritmias cardíacas decorrentes do procedimento.

Segundo ano

  • Planejamento de anestesia para intervenções de pequeno e médio porte;
  • Técnicas de anestesia geral e bloqueio de neuroeixo;
  • Avaliação da via aérea difícil e algoritmo de controle;
  • Manuseio dos monitores;
  • Bloqueios anestésicos e acessos vasculares por ultrassonografia;
  • Montagem das bombas de infusão e linhas de perfusão;
  • Manuseio do aparelho de anestesia micro-processado.

Terceiro ano

  • Avaliação pré-anestésica e elaboração do relatório final;
  • Comunicação com equipe durante intervenção quanto possíveis variações dos parâmetros fisiológicos;
  • Escolha de fármacos anestésicos e demais para uso na anestesia;
  • Hemodinâmica pré-operatória do paciente, de acordo com parâmetros fisiológicos e o comportamento cardiovascular;
  • Avaliação arritmias pelo ECG.

Entretanto, além daquilo que estuda na residência, ao ler aqui o que é preciso para ser anestesista é válido reforçar que a área exige atualização constante. Afinal, sempre surgem novos medicamentos e procedimentos, além de orientações preconizadas pela SBA.

Quanto ao perfil, é fundamental que o profissional seja resistente à fadiga, tenha calma e liderança, bem como destreza manual. Além disso, raciocínio rápido, atenção e cuidados com os detalhes.

Quais são as subespecialidades da anestesiologia?

Embora a residência em anestesiologia tenha duração de três anos, ainda é possível dedicar-se a uma subespecialidade. As mais comuns e procuradas entre os profissionais são, por exemplo:

  • Cirurgia Pediátrica;
  • Cirurgia Plástica;
  • Cirurgia Torácica;  
  • Cirurgia Vascular;
  • Cirurgia de Cabeça e Pescoço;
  • Cirurgia do Aparelho Digestivo;
  • Cirurgia Geral;
  • Cirurgia Oncológica;
  • Cardiologia;
  • Cirurgia Cardiovascular
  • Cirurgia da Mão;
  • Acupuntura;
  • Alergia e Imunologia;
  • Angiologia.

A duração desta nova formação depende da área escolhida, bem como os conhecimentos exigidos.

Como é a rotina do anestesista?

Após identificar o que é preciso para ser anestesista e obter os títulos necessários para a sua certificação, o profissional pode trabalhar em centros de atendimento de urgência, clínicas e hospitais. Porém, sua atuação se dá, majoritariamente, nos centros cirúrgicos.

Contudo, sua rotina não abrange apenas a aplicação de anestesia durante os procedimentos. Como já mencionado, este médico tem papel importante no monitoramento, inclusive da pressão arterial, batimentos cardíacos, saturação, entre outros fatores relacionados.

Uma vez que cuida tanto do pré quanto pós-operatório, é comum vê-lo nas acomodações, salas de recuperação e unidades de terapia intensiva.

Mercado de trabalho

Além de saber o que é preciso para ser anestesista, vale dar uma conferida nas possibilidades disponíveis no mercado de trabalho. Trata-se de uma área de prestígio e com boas colocações, e salários médios iniciais entre R$ 5.121 e R$ 8.665.

Porém, um médico anestesista experiente chega a ganhar R$ 16.906, ao menos. Este valor pode subir de acordo com os plantões feitos.

Por conta deste grau de dificuldade, o Centro de Desenvolvimento em Medicina (CDMED) criou um programa com uma metodologia exclusiva para preparar os profissionais que querem ingressar em uma residência médica.

Conheça agora o curso preparatório para residência médica, ele conta com simulados e foi elaborado com o apoio de médicos especialistas e atuantes.

Aproveite para seguir nosso perfil no Instagram e acompanhar nossas dicas de estudo!

Em alta

O que é esclerose subcondral?

Doutor, você já ouviu a falar sobre a Esclerose Subcondral? Ela é uma doença óssea muito comum. Mas, você sabe como diagnosticá-la? Entenda!

Ler matéria

Quais são os 4 tipos de hipersensibilidade?

Considerada como um distúrbio, a hipersensibilidade pode ocasionar diversos danos graves ao seu paciente. Confira os 4 principais tipos!

Ler matéria

Quais são os planos de delimitação do corpo humano?

Você sabia que o corpo humano é referenciado de acordo com três planos mutuamente ortogonais? Confira quais são os planos de delimitação!

Ler matéria

O que é arritmia supraventricular isolada?

A Arritmia Supraventricular Isolada é uma condição cardíaca que afeta o ritmo do coração e suas variações. Conheça os riscos e tratamentos!

Ler matéria

Como coletar gasometria arterial?

Está com dúvida de como coletar a gasometria arterial? Ela é realizada por meio da punção na artéria do paciente. Saiba dominar essa técnica!

Ler matéria

Quais doenças o exame FAN detecta e quando solicitar ao paciente?

Feito a partir da análise de uma amostra de sangue do paciente o exame FAN ajuda a diagnosticar doenças autoimunes como a lúpus. Saiba mais!

Ler matéria

Outras matérias

diferença entre internato e residência

Qual é a diferença entre internato e residência?

Você conhece as distinções entre o internato e a residência médica? Uma das etapas acontece durante o curso de medicina, enquanto a outra…

Como chamar paciente para retorno

Como chamar o paciente para retorno?

Médico, aprender a chamar os pacientes para o retorno é essencial em qualquer área da medicina. Confira dicas e implemente em seu consultório!

Quais os planos de delimitação do corpo humano

Quais são os planos de delimitação do corpo humano?

Você sabia que o corpo humano é referenciado de acordo com três planos mutuamente ortogonais? Confira quais são os planos de delimitação!

Qual é a posição dos eletrodos no ecg

Qual é a posição dos eletrodos no ECG? Elimine dúvidas sobre o eletrocardiograma

Está com dúvidas sobre os procedimentos para realizar o ECG? Saiba como posicionar os eletrodos no seu paciente de forma correta. Confira!