Residência

Qual é a diferença entre internato e residência?

diferença entre internato e residência

O processo de formação do médico tem início, como se sabe, na graduação, que tem duração de seis anos. Neste período, o estudante passa pelo internato, que funciona como um estágio obrigatório. Logo após a conclusão, o recém-formado, então, obtém o registro junto ao Conselho Regional de Medicina (CRM) e atua como generalista.

Por outro lado, há mais de 50 especialidades na qual o recém-graduado pode atuar, contudo, após a devida capacitação. É a chamada residência médica, programa instituído pelo Ministério da Educação (MEC) que aprofunda os conhecimentos em áreas específicas.

É importante explicar bem esta sequência para que você consiga compreender qual é a diferença entre internato e residência.

Para ajudá-lo, abaixo vamos explicar mais detalhes sobre estas etapas de estudos. Você pode chegar à prova de residência mais preparado com o Intensivo R1 do Centro de Desenvolvimento em Medicina.

Entenda qual é a diferença entre internato e residência

O internato médico e a residência são etapas importantes na formação de um profissional da saúde. Porém, estas etapas possuem diferenças significativas em relação à duração, foco e responsabilidades do indivíduo em formação.

O internato médico é uma etapa obrigatória da graduação. Nos últimos dois anos do curso, o estudante vivencia o dia a dia do hospital e coloca em prática os conhecimentos adquiridos.

Nesse período, é supervisionado por médicos e monitores na realização de atividades práticas, por exemplo:

  • Acompanhar pacientes internados;
  • Realizar procedimentos simples;
  • Coletar histórico médico;
  • Outras atividades de rotina em uma unidade de saúde.

A residência médica, por sua vez, é uma especialização, cuja duração varia entre dois e seis anos, conforme a área escolhida. Neste período, o profissional aprofunda seus conhecimentos no setor de atuação e realiza atividades práticas mais complexas.

Só para exemplificar, as atividades abrangem:

  • Diagnósticos;
  • Procedimentos cirúrgicos;
  • Acompanhamento de pacientes graves;
  • Outras atividades de maior complexidade.

Na prática, o residente é responsável pelo atendimento de pacientes e, também, conta com supervisão de médicos mais experientes.

Para que você compreenda melhor qual é a diferença entre internato e residência, um quesito importante é a obrigatoriedade. A primeira modalidade é uma etapa obrigatória da graduação, enquanto a segunda é optativa, sendo exigida apenas ao graduado que deseja se especializar em alguma área.

Além disso, na residência, o médico em formação recebe uma bolsa-auxílio, sendo considerado um profissional de saúde em formação, com registro no Conselho Regional de Medicina.

Como funciona o internato?

Agora que você já sabe um pouco mais sobre qual é a diferença entre internato e residência, vejamos como cada uma funciona.

Inicialmente, o internato tem a duração de dois anos, como já mencionado, os últimos da graduação. O estudante é direcionado a uma instituição de saúde indicada pela universidade, geralmente por haver convênio entre ambas.

Os alunos são, então, divididos entre grupos e imergem no sistema de rodízio. Isso significa que, nestes dois anos, passarão pelas principais especialidades médicas. A duração de cada etapa varia conforme área e instituição, podendo ser de semanas a meses. O foco principal é a prática, embora o participante ainda tenha contato com alguma teoria.

De modo geral, o internato é realizado em hospitais, ambulatórios e UBS’s, desde que, neste período, haja um rodízio que inclua medicina da família e atendimento em unidades públicas. O estágio inclui, também, plantões. Nenhum procedimento é feito sem a supervisão de um médico responsável.

E a residência?

Esta é uma modalidade de certificação instituída pela Lei nº 6.932/1981,mais conhecida como a Lei da Residência Médica. Todos os programas são gerenciados pelo MEC, embora a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM), vinculada à pasta, seja responsável pela regulamentação e credenciamento das instituições.

Atualmente, há programas autorizados em 55 especialidades e 59 áreas de atuação reconhecidas. Eles são disponibilizados por instituições de saúde diversas, entre universidades, hospitais públicos e privados. A duração varia de dois a seis anos, conforme a área escolhida pelo candidato.

Primeiro, o estudante passa por uma avaliação, a prova de residência, constituída normalmente por 100 questões práticas e teóricas. Quando aprovado, inicia a formação, cuja carga horária é de 60 horas semanais. Essa jornada inclui 24 horas de plantão com descanso de seis horas obrigatório logo após as 12 primeiras.

Também, é exigida uma folga semanal. O aluno tem direito a uma bolsa-auxílio. Em alguns casos, há ainda a remuneração por plantão.

Em resumo, as explicações sobre qual é a diferença entre internato e residência podem ser compreendidas como uma fase inicial da formação que é obrigatória na graduação. A segunda tem relação direta com a carreira profissional e a qualificação desejada e só pode ser iniciada após a conclusão da primeira etapa de estudos.

Este conteúdo foi criado pela redação do Centro de Desenvolvimento em Medicina (CDMED), uma nova marca de treinamentos para profissionais da saúde.

Aqui no CDMED você pode avaliar os cursos de especialização para Médicos com matrículas abertas e iniciar já a sua formação no tema escolhido.

Aproveite ainda para seguir nosso perfil no Instagram e acompanhar nossas dicas de estudo!

Em alta

O que é esclerose subcondral?

Doutor, você já ouviu a falar sobre a Esclerose Subcondral? Ela é uma doença óssea muito comum. Mas, você sabe como diagnosticá-la? Entenda!

Ler matéria

Quais são os 4 tipos de hipersensibilidade?

Considerada como um distúrbio, a hipersensibilidade pode ocasionar diversos danos graves ao seu paciente. Confira os 4 principais tipos!

Ler matéria

Quais são os planos de delimitação do corpo humano?

Você sabia que o corpo humano é referenciado de acordo com três planos mutuamente ortogonais? Confira quais são os planos de delimitação!

Ler matéria

O que é arritmia supraventricular isolada?

A Arritmia Supraventricular Isolada é uma condição cardíaca que afeta o ritmo do coração e suas variações. Conheça os riscos e tratamentos!

Ler matéria

Como coletar gasometria arterial?

Está com dúvida de como coletar a gasometria arterial? Ela é realizada por meio da punção na artéria do paciente. Saiba dominar essa técnica!

Ler matéria

Quais doenças o exame FAN detecta e quando solicitar ao paciente?

Feito a partir da análise de uma amostra de sangue do paciente o exame FAN ajuda a diagnosticar doenças autoimunes como a lúpus. Saiba mais!

Ler matéria

Outras matérias

Como chamar paciente para retorno

Como chamar o paciente para retorno?

Médico, aprender a chamar os pacientes para o retorno é essencial em qualquer área da medicina. Confira dicas e implemente em seu consultório!

Quanto tempo dura residência médica

Quanto tempo dura a residência médica?

Em média, a duração de uma residência médica é de 2 anos e dependendo da especialidade ela pode chegar a 5 anos. Quer saber mais? Confira!

Como montar um consultório médico

Como montar um consultório médico?

Montar um consultório próprio do zero é uma empreitada desafiadora, porém te possibilitará uma melhor remuneração e flexibilidade. Entenda!

O que faz um hematologista

Entenda o que faz um hematologista

O Médico Hematologista faz estudo do sangue dos pacientes. Confira as áreas de atuação deste especialista e saiba como se tornar um. Entenda!